Poesia & poemas

8 aprile 2014

L’uomo che amo…

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 8:39 pm

viso

L’uomo che amo mi porta il caffè ogni mattina. E scaccia gli incubi della notte passandomi la mano sul viso.
L’uomo che amo è sempre presente. Anche quando è lontano. Perché talvolta l’amore non è fatto di piccoli gesti, ma della condivisione profonda di quell’oceano di dolore che ci si porta dentro.
L’uomo che amo è la parola che culla il mio lamento. Anche quando mi chiede di tacere. Perché talvolta è proprio il silenzio che aiuta a sopportare…

 

Michela Marzano

17 ottobre 2013

Il tempo

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 8:58 pm

clessidra

Il tempo, si sa, vola a volte veloce come un uccello, a volte scivola lento come un verme, ma la sensazione migliore per l’uomo sta nel non accorgersi nemmeno se il tempo stia trascorrendo piano o in fretta.

Ivan Sergeevič Turgenev

1 aprile 2013

Fotografare

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 7:43 pm

fotografare

Non mi sono mai chiesto perché scattassi delle foto.
In realtà la mia è una battaglia disperata
contro l’idea che siamo tutti destinati a scomparire.
Sono deciso ad impedire al tempo di scorrere.
È pura follia.

Robert Doisneau

10 marzo 2013

RECOMEÇAR

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 9:53 pm

patrizia_a_20_anni

Não importa onde você parou…
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e necessário
“Recomeçar”.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…

Chorou muito?
foi limpeza da alma…

Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia…

Sentiu-se só por diversas vezes?
É por que fechaste a porta até para os anjos…

Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora…

Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Que tal um novo emprego? Uma nova profissão?
Um corte de cabelo arrojado… diferente?
Um novo curso… ou aquele velho desejo de aprender a
pintar… desenhar… dominar o computador…
ou qualquer outra coisa…

Olha quanto desafio…
quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.

Tá se sentindo sozinho? besteira…
tem tanta gente que você afastou com
o seu “período de isolamento”…
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para “chegar” perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza…
nem nós mesmos nos suportamos…
ficamos horríveis… o mal humor vai comendo nosso fígado…
até a boca fica amarga.

Recomeçar…
hoje é um bom dia para começar novos desafios.

Onde você quer chegar?
Vá alto… sonhe alto… queira o melhor do melhor…
queira coisas boas para a vida…
pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos…

Se pensamos pequeno… coisas pequenas teremos…
já se desejarmos fortemente o melhor e
principalmente lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.

E é hoje o dia da faxina mental…
jogar fora tudo que te prende ao passado…
ao mundinho de coisas tristes…
fotos… peças de roupa, papel de bala…
ingressos de cinema… bilhetes de viagens…
e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados…

jogue tudo fora… mas principalmente…
esvazie seu coração… fique pronto para a vida…
para um novo amor…

Lembre-se somos apaixonáveis…
somos sempre capazes de amar muitas
e muitas vezes… afinal de contas…
Nós somos o “Amor”…

 

Carlos Drummond de Andrade ??

Um sonho…

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 9:33 pm

image007

“Um sonho sonhado sozinho é um sonho.
Um sonho sonhado junto é realidade.”

 

Raul Seixas

28 febbraio 2013

Sentir primeiro…

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 10:03 pm

image039

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois

Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois

Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois

O laço e o abraço

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 9:54 pm

image052

Meu Deus! Como é engraçado!
Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço… uma fita dando voltas?
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.
É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.
É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?
Vai escorregando… devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então, é assim o amor, a amizade.
Tudo que é sentimento? Como um pedaço de fita?
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço.
Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.
Então o amor é isso…
Não prende, não escraviza, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.

 

José Mário O. R. Barbosa

24 febbraio 2013

O Aqui e o Agora

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 8:47 pm

image058

O minuto que você está vivendo agora,
é o minuto mais importante de sua vida,
onde quer que você esteja.

Preste atenção ao que está fazendo.
O ontem já lhe fugiu das mãos.
O amanhã ainda não chegou.

Viva o momento presente, porque dele depende todo o seu futuro.
Procure aproveitar ao máximo o momento que está vivendo, tirando todas
as vantagens que puder, para seu aperfeiçoamento.

desconheço a autoria

7 febbraio 2013

Nisto erramos…

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 8:29 pm

image068

Nisto erramos: em ver a morte à nossa frente,
como um acontecimento futuro,
enquanto grande parte dela já ficou para trás.
Cada hora do nosso passado pertence à morte.

Séneca

Lucius Annaeus Seneca, melhor conhecido como Séneca, o moço, ou ainda, o filósofo classificado geralmente como estoico, nasceu por volta do ano 4 a.C. em Córdova, na altura pertencente ao Império Romano, e morreu no ano 65 d.C. em Roma.

Gli altri

Filed under: Cibercultura — patriziaercole @ 11:58 am

image069

Aiutare qualcuno a risollevarsi da terra
è il solo motivo che può darci
il diritto di guardare
gli altri dall’alto in basso.

 

Deng ming Dao

Pagina successiva »

Blog su WordPress.com.