Poesia & poemas

20 febbraio 2014

Fim do mundo

Filed under: Poesie — patriziaercole @ 9:58 pm

Ponho-me às vezes a cismar como seria belo o fim do mundo,
Antes de Cristo…

Nos campos verdes
Decorativas ossadas
Brancas geometrias.

Na cidade morta
Colunas. O azul, imóvel, sonha
A última asa.

A folha,
Graça infinita,
Se desprende e tomba

No tanque: leve sorriso da água…

Porém, quando este mundo cibernético for para o
Diabo que o forjicou
E todas as nossas bugigangas eletrônicas virarem
sucata
E todos as estrelas perderem os seus nomes,

Os únicos poetas que os sobreviventes entenderão
São os que hoje ainda falam no cricilar dos grilos,
no frêmito

Do primeiro
Amor…
Redescobridores encantados da poesia
Esses pobres homens não serão nem ao menos
arqueólogos

E nós descansaremos, finalmente, em paz.

Mario Quintana

(1906-1994)

Lascia un commento »

Non c'è ancora nessun commento.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Crea un sito o un blog gratuitamente presso WordPress.com.

%d blogger cliccano Mi Piace per questo: