Poesia & poemas

12 gennaio 2014

Ponteando sobre o amigo ruim

Filed under: Poesie — patriziaercole @ 6:15 pm

Enfim a gente não é mais amigo um do outro não.
Você anda fácil, levianinho.
No labirinto das complicações.
Que sutileza! quanta graça dançarina!…
É certo que fica sempre
Bastante pó das asas de você
Nos galhos, nos espinhos,
Até nas flores desse mato…
Mesmo já pus reparo várias vezes
Nas asas de você estragadas pelas beiras…
Porém o essencial, o importante
É que apesar desse estrago inda você pode ver.

Eu não sou assim não.
Sou pesado, bastante estabanado,
Não tenho asa nem muita educação.
Careço de caminho largo, bem direito.
Si* falta espaço, quebro tudo,
Me firo, me fatigo… Afinal caio.
No meio do mato eu paro, não posso mais caminhar.
Não posso mais.
Você…É possível que ainda me chame de amigo…
Mesmo perdendo um bocadinho de asa
Pousa no meu espinheiro e inda pode voar depois.
Mas eu, eu sofro é certo,
Porém já não sou mais amigo de você.

Você é amigo do mar, você é amigo do rio…

Mário de Andrade

(1893-1945)

Lascia un commento »

Non c'è ancora nessun commento.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Blog su WordPress.com.

%d blogger cliccano Mi Piace per questo: