Poesia & poemas

31 agosto 2012

Antônia

Filed under: Poesie — patriziaercole @ 8:32 pm

Amei Antônia de maneira insensata.
Antônia morava numa casa que para mim não era casa, era um empireo.
Mas os anos foram passando.
Os anos são inexoráveis.
Antônia morreu.
A casa em que Antônia morava foi posta abaixo.

Eu mesmo já não sou aquele que amou Antônia e que Antônia não amou.
Aliás, previno, muito humildemente, que isto não é crônica nem poema.
É apenas
Uma nova versão, a mais recente, do tema “ubi sunt”,
Que dedico, ofereço e consagro
A meu dileto amigo Augusto Meyer.

Manuel Bandeira  (1886-1968)

Lascia un commento »

Non c'è ancora nessun commento.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Blog su WordPress.com.

%d blogger cliccano Mi Piace per questo: