Poesia & poemas

25 aprile 2012

Sobrevivi à morte sucessiva das coisas do teu quarto…

Filed under: Poesie — patriziaercole @ 7:56 pm


Sobrevivi à morte sucessiva das coisas do teu quarto
Vi pela primeira vez a inútil simetria dos tapetes
E o azul diluído, azul-branco das paredes
E uma fissura de um verde anoitecido na moldura de prata
E nela o meu retrato adolescente e gasto.
E as gavetas fechadas. Dentro delas aquele todo
Silencioso e raro como um barco de asas.
Que fome de tocar-te nos papéis antigos!
Que amor se fez em mim, multiforme e calado!
Que faces infinitas eu amei para guardar teu rosto primitivo!

Desce da noite um torpor singular
Água sob o casco de um velho veleiro calcinado
Em mim o grande limbo de lamento e dor
E o medo de esquecer-te, de soltar estas âncoras
E depois florir sem ao menos guardar a tua ressonância
Abraça-me. Um quase nada de luz pousou na tua mesa
E expandiu-se na cor, como um pequeno prisma.

Hilda Hilst

Lascia un commento »

Non c'è ancora nessun commento.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Crea un sito o un blog gratuitamente presso WordPress.com.

%d blogger cliccano Mi Piace per questo: